Início na cozinha…

Início na cozinha…
Depois daquela foda maravilhosa, mantive-me dentro dela alguns minutos e ficámos a trocar uns miminhos, uns beijos e algumas carícias. Gostava desta intimidade com ela!

Mas depois de uma viagem longa, tendo em conta a hora tardia e tendo em conta aquele momento bem escaldante, senti realmente que era hora de trincar qualquer coisa a sério e satisfazer também o estômago com algo comestível… Até gosto de cozinhar, mas sinceramente aquela hora já mais tardia apetecia-me tudo menos ter que cozinhar, especialmente estando uma mulher assim comigo e em que ambos queríamos aproveitar ao máximo a nossa primeira vez juntos…

Encaminhei-me para a cozinha todo nu, enquanto que ela disse que ia aproveitar para trincar qualquer coisa também e levantou-se também da cama…. Deixei-a passar para a frente, para ter o prazer de observar aquela visão daquela mulher a andar nua pela minha casa e que, mesmo sendo bem mais velha que, me atraía imenso… Não resisti e, após poucos passos no corredor, abracei-a por trás e beijei-a no pescoço… Ao mesmo tempo que ia andando devagar e pressionando o meu corpo contra o dela, já as minhas mãos envolviam aquelas mamas que eu adorava cada vez mais…

Chegados à cozinha, desfiz o abraço e tratei de ver o que podia ser rápido… Felizmente tinha sopa feita e preparei uns cereais para ela, coisas que não foram muito mais que aquecer tudo no microondas e comer… Fomos comendo devagar, aproveitando para ir devorando lentamente o corpo um do outro com os olhos enquanto íamos falando, havendo aqui e ali umas pequenas provocações…

Acabados de comer, enquanto eu comecei a arrumar as coisas, ela começou a lavar a loiça, claramente contra minha vontade… Este tipo de tarefas, em minha casa faço eu, não é alguém que vem de fora e ainda por cima uma mulher que vai fazer… Abracei-a por trás outra vez, provocando-a para ver se a conseguia demover, mas ela decidiu provocar também… Fez mais força para se manter e começou a mexer-se contra mim, tentando empurrar-me para trás e afastar-me, enquanto eu fazia precisamente o contrário e me pressionava contra ela… Obviamente, aquilo rapidamente se intensificou e nem sei como ela conseguiu continuar a lavar a pouca loiça… Demorou muito mais que o que seria esperado, mas compreende-se perfeitamente… Por esta altura eu já estava completamente teso novamente, tinha o meu pau duro encaixado no meio das nalgas dela e roçava-me nela, enquanto uma das minhas mãos deambulava naquele peito e a outra tinha alguns dedinhos entretidos, deixando-a húmida novamente, se é que não o estava já ainda como resultado do orgasmo anterior…

Afastei-me ligeiramente dela e fiz com que o meu pau deslizásse por entre as suas coxas, que ela fechou rapidamente, prendendo-me no meio… Conseguia movimentar-me um pouco, mas assim impossibilitava qualquer tentativa de penetração… A parte boa é que a conseguia provocar de uma maneira enorme: nos ligeiros movimentos que conseguia fazer, o meu pau roçava-lhe directamente na parte de baixo da coninha, fazendo-a ficar cada vez mais húmida e soltar uns gemidos… Quando eu lhe sussurrei ao ouvido que a queria foder ali mesmo e naquele momento ela disse-me que adoraria, mas que tinha outras ideias melhores…

Enquanto me puxava pela mão, lá fui eu atrás dela meio contrariado para o quarto novamente… Mas a contrariedade passou-me depressa, porque sabia bem que o prazer de ambos estava para continuar. Deitou-me na cama, sentou-se em cima de mim e agarrou-me as mãos… Começou a roçar-se em mim, ao mesmo tempo que se inclinou para a frente oferecendo-me aquelas mamas deliciosas para eu mamar… Passado pouco tempo, encostou as mamas ao meu peito, beijou-me na boca e foi descendo pelo meu corpo, roçando as mamas e os mamilos em mim… Estava a ficar louco com aquilo tudo! Quando chegou com as mamas à altura do meu pau, não hesitou e agarrou nele para o colocar no meio delas, começando uma boa espanholada… Que delícia sentir o meu pau deslizar no meio das mamas dela…

Mas a ideia ainda não estava por ali… Continuou a descer mais um pouco e adivinhou-se o que eu já começava a esperar: uns beijinhos na cabeça do meu pau, uns beijinhos por ele fora, apalpanço às bolas suavemente, umas lambidelas de uma ponta à outra… Quando dei por mim, estava ela já com boa parte do meu pau enfiada na boca a chupar e a mamar… Com muita perícia ela lá me ia devorando com a boca, enrolando a língua no meu pau aos poucos, fazendo-me gemer e suspirar profundamente várias vezes… Estava a começar a chegar ao ponto em que não há volta a dar e pensei que ela quisesse continuar até ao fim, mas ela percebeu isso e parou… Sentou-se novamente em cima de mim, inclinou-se e sussurou-me qualquer coisa do género “quero beber-te, mas agora quero é ter-te em mim”… E com tudo isto, agarrou no meu mastro, alinhou-o com a sua coninha e fez com que eu a penetrasse novamente.

A mulher por cima, estilo cavaleira, é também uma das posições que eu adoro… Dá muito mais liberdade à mulher, deixa-a fazer o que ela quer e como quer, causando uma espécie de imprevisibilidade ao homem sobre o que vai acontecer… E depois as sensações alternadas de cavalgadas rápidas, cavalgadas lentas, penetrações profundas ou mais superficiais, etc. dão um prazer tremendo…

Enquanto ela subia e descia à vontade dela, agarrei-lhe nas nalgas e procurava acompanhar os movimentos dela ajudando-a… Além disso, não resisti a devorar-lhe aquelas mamas boas novamente enquanto sentia toda a sua humidade dentro daquela coninha quente que me sugava para dentro dela… Ela foi responsável por manter o ritmo à sua vontade, embora tivesse abrandado algumas vezes para prolongar mais tudo… Até que a certa altura ela me agarra novamente as mãos e as coloca atrás da minha cabeça, coloca-me um dos mamilos na boca (já nem sei qual foi!!!) e toca de recomeçar a cavalgar desenfreadamente… Minha nossa, o que vale é que já tínhamos dado uma foda antes e conseguia agora resistir um bocado mais aquela excitação toda… A rapidez dos movimentos intensificou-se, sentia-a apertar-me mais e a respiração a ficar ainda mais ofegante pelo que ao senti-la contrair-se toda não me consegui segurar mais e descarreguei com fúria o meu leitinho dentro dela pela segunda vez… Adorei, ou melhor, adorámos! Mmmm só de ter estas recordações fico cá de uma maneira!!!

Ela deitou-se em cima de mim, tentando manter-me dentro dela e fomo-nos beijando ternamente, já não tanto com aquela vontade de comer e ser comido, mas sim num relaxo maior… Ficámos assim, entregues um ao outro durante um bom bocado, trocando meiguices e caricias de uma forma deliciosa!

Era já um bocado tarde e com aquela segunda foda e com aquela intensidade, ela parecia arrumada para o resto da noite e queria dormir… Mas não a deixei descansar e, embora não tenha invadido aquela coninha sedenta de leitinho mais nenhuma vez naquela noite, ainda deu para lhe provocar mais um orgasmo e deixá-la definitivamente em knock-out para o resto da noite… Mas isto, apesar de ser mais curto, fica para o próximo post…

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir