Fodi as duas universitárias

Fodi as duas universitárias
Fodi as duas universitárias
O que me aconteceu foi mais uma surpresa e mais uma entre as muitas das minhas aventuras que me tem acontecido.
Nunca esteve nos meus pensamentos viver esta situação, só de pensar já me esta a dar tesão.
Esta semana viajei no expresso de Viseu para Lisboa de regresso a capital .
Tinha ido a Viseu em trabalho e fazia o regresso nesta cidade já me aconteceu coisas muito boas , muito agradáveis mesmo.
Dirigi-me a bilheteira do terminal expressos comprei o bilhete com destino a Lisboa pergunto qual a hora faltavam 15minutos para a saída ainda dava tempo para um café.
Fui tomar um café para passar algum tempo, mas enquanto tomava o café reparo que numa das mesas estava sentada uma bela e ainda jovem que pelos meus cálculos teria mais ou menos 21 anos bonita rosto cheio vestia uma fina camisola que definia bem seu peito redondo e com um bom volume, imaginei tudo aquilo sem roupa mas pensei não o que vês não é para ti ela fixou o olhar no meu parecendo que estava a ver que a observava eu desfarcei,
Desviei o olhar por breves instantes mas com curiosidade e com vontade de voltar a observar o que tinha visto e que me despertou as mais vontades e desejos e quando voltei a olhar o meu olhar chocou com o dela novamente ela também me observava entretanto ela levantou- se da mesa vestia umas calcas de ganga o seu belo e redondo traseira umas belas ancas um pequeno salto alto tudo isto a minha frente a provocar-me os mais altos desejos, mas desisti paguei o café e saí.
Sai a sua frente depois de observar algo que já me dava vontade de comer mesmo ali mas até me pareceu que ela estava a querer algo comigo pensei, é só minha imaginação erótica a pensar aquela mulher não é para ti vai bater uma punheta que isso passa, estou longe de casa e ainda de regresso ela é daqui já nunca mais a vejo.
Dirigi me ao terminal a hora aproximava se da partida do autocarro entrei procurei o lugar com o numero referido no bilhete e sentei me ainda me estava a acomodar e quando reparei a entrar no mesmo autocarro aquela linda moça que estava no café sentada parece que o destino estava mexer com as nossas vidas.
Procurou o lugar do seu bilhete enquanto observava os numeros dos lugares o bilhete tinha o numero do lugar mesmo a meu lado bom o destino esta a colocar-nos no caminho um do outro, senti o meu coração acelerar, aquela que eu tinha desejado e tinha imaginado em pensamento comer esta mesmo ali ao pé de mim.
Ela sorriu enquanto se sentava a meu lado.
Iniciou-se a viagem e não demorou que começa se uma conversa ela perguntou me se eu era de Viseu respondi que era de Lisboa estava ali em trabalho.
Fez a observação no café enquanto bebia seu café reparei que me observava . Ela disse me que tinha reparado na forma como eu tinha olhado para ela no café eu disse lhe que parecia uma pessoa que eu conhecia ela voltou para mim e sorriu.
Eu não comentei.
Perguntei como se chamava ela disse me Cristina.
Perguntei lhe se ela era dali. Disse me que sim que era mesmo de Viseu tinha vindo a casa e que estava de regresso a Lisboa onde estudava na universidade.
Conversamos sobre o que eu fazia. Falamos dos estudos dela foi longa a conversa.
Perguntei lhe se tinha namorado disse-me que tinha uma pessoa mas que não bem namorado, Perguntou me se era casado.
Disse me que o namorado era mais novo que ela sem experiência e que gostava de ter alguém mais velho com experiência que lhe ensina-se algo mais, eu disse-lhe que haveria de encontrar essa pessoa um dia.
Disse me que gostava muito de sexo e que ele não era a pessoa que lhe dava o que ela queria e que gostava de fazer sexo com alguém um homem da minha idade e que seria uma experiência boa homens mais velhos devem ter muita experiência e devem dar uns bons momentos e que gostaria muito de ter esse homem dando-lhe aquilo que o namorado nãão lhe dava.
Eu desviei a conversa para outro assunto a conversa estava aquecer mas ela voltou ao tema sexo, perguntando se tinha muitas aventuras, e com mulheres da idade dela, e se alguém com a idade dela lhe fize-se uma proposta uma boa proposta de sexo se aceitaria eu respondi com um sorriso ela perguntou isso é um sim eu disse talvez.
Quando demos estava-mos a chegar ao terminal ela disse me que tinha gostado muito da companhia que tinha adorado a conversa e que tinha uma proposta se eu aceitava, eu tremi o que viria a ser essa proposta, ela perguntou-me se eu queria fazer-lhe companhia numa bebida mas que seria ela a escolher o sitio.
Perguntei lhe entâo vamos onde? Ela disse me que morava ali perto e se eu não podia ir lá a casa dela, estamos mais sossegados e ninguém nos incomoda eu disse lhe mas achas que não há problema ela disse me não que partilhava a casa com outra colega de universidade mesmo que ela estive-se não havia problema mas até poderia não estar mas que ia mandar um sms a dizer lhe que levava um amigo e que estava a caminho de casa demoramos uns 10 m a chegar.
Abriu a porta levou-me até a sala e quando cheguei estava sentada no sofá a colega apresentou-me Paula minha colega tinha uns longos cabelos ainda molhados parecendo que tinha acabado de sair do banho. Reparei enquanto Paula se levantava para me cumprimentar, balançava uns peitos bicudos depois de pé aqueles belos peitos espetaram a camisola pareciam estar sem soutien fiquei a imaginar.
Estava algo nervoso com aquilo tudo eu nem sabia como aquilo iria acabar mas Cristina com as dicas que tinha dado com o convite em casa para a bebida pelos meus progonosticos ia acabar em uma tarde muito bem passada mas seria melhor eu não fazer nada porque pode sair em nada, porque estava ali uma colega e isso não ia dar em nada.
Perguntou me o que queria beber sugerindo disse-me uma cerveja? Sim pode ser uma cerveja, então são três disse ela e foi buscar quando chegou disse que ia tomar um banho para relaxar da viagem.
Fica com a minha colega Paula que já venho não demoro.
Fiquei a conversa com Paula começando a beber as cervejas frescas não demorou muito Cristina chegou do seu banho e juntou-se a nos sentou-se no sofá ao lado de Paula onde já estava-mos num sofá de 3 lugares, eu numa ponta logo ao meu lado Paula sobrava um lugar ao lado e sentou-se ao lado de Paula
Chegou desse banho num roupão polar cor de rosa eu ia imaginando o que estaria por baixo mas sem alimentar grandes esperanças o que iria acontecer mas pensando sempre que aquele convite poderia ter mais que uma cerveja e agradecimento pela companhia na viagem.
As duas ao lado uma da outra e eu ia saboreando aquela cerveja fresca.
Paula poisou a sua garrafa de cerveja juntamente com a de Cristina e sem esperar mais tempo Paula abre o roupão d sua colega Cristina e para minha surpresa Cristina não tinha nenhuma peça de roupa por baixo e um corpo de tirar a respiracão cheia de corpo mas tudo muito bem torneado ancas fortes ficou ali semi desnudado uns peitos redondos bem firmes e de bom tamanho Paula começou a beijar Cristina e ao mesmo tempo ia acariciando aqueles belos peitos foi chupando os bicos e acariciando a cona bem depilada Cristina não demorou a tirar a camisola de pijama de Paula e uns belos peitos bicudos se apresentaram onde na ponta já estavam uns bicos bem espetados bem tesos e Cristina se lançou a eles chupando-os as duas gemiam de prazer e as duas tiveram assim durante algum tempo se acariciando num ato lesbico e eu so olhava sem interferir entre as duas enquanto aquilo se passava eu já exibia notando-se nas calças um volume de rebentar o fecho já se notava uma tesão imensa Paula olhou para esse volume colocando sua mão e acariciando disse que tesão já tens da para notar estas a gostar imagino pelo tamanho que apresenta teu caralho debaixo das calças imagino estas com vontade de comer nos as duas ou estas com vontade de te masturbar enquanto vês nos as duas mas Paula nem me deixou fazer mais nada ela mesmo abriu o fecho e retirou o meu caralho saltou que nem mola e começou a bater uma punheta já num caralho tem teso .
Paula depois acariciar o meu caralho ajoelhou se em frente dele passou a língua de cima a baixo ate as bolas chupou uma e outra voltou de língua por ali acima e não demorou metendo o meu caralho na sua boca chupando bem devagar em movimentos lentos ia metendo boca dentro bastante húmida fazendo escorrer sua saliva pelo meu caralho ate aos colhões minhas bolas estavam inundadas de tanta humidade Paula tecia elogios ao meu caralho que caralho grosso e grande muito bom nunca vi nada assim ela punhetava e mamava como nunca ela estava louca uma autentica devoradora se Paula estava assim imagino sua colega a minha companheira de viagem que me tinha dito que gostava muito de sexo Cristina chegou se a mim e beijou-me seus lábios tocaram nos meus e beijou me Depois levantou-se colocou-se de pe no sofá de pernas grossas bem abertas mostrando sua cona depilada meteu-me a cona bem a minha frente eu puxei a para mim e de pernas bem abertas ataquei aquela cona de lábios bem carnudos lambi sua cona chupei a e ouvia ela gemendo e pronunciando lambe querido estou adorando nunca fui assim tratada que maravilha muito gostoso se elas as duas estavam a viver nomentos de tesão entre gemidos entre gritos de prazer eu então estava a viver momentos que nunca vivi estava mesmo ali comendo duas mulheres que me estavam a propocionar prazeres que jamais vivi e talvez vou viver, e comer duas mulheres.
Cristina caiu de cona em meu caralho enterrando bem devagar sentia cada cm entrar bem lento sentia sua cona bem quente parecia um vulcão enquanto Paula segurava firmemente meu caralho vendo meu caralho enterrando a cona da sua colega depois de ter entrado Cristina cavalgou que nem louca eu acariciava seus peitos umas bolas perfeitas duras e de bicos bem duros um bom par de mamas perfeitos, enquanto Cristina cavalgava senti a língua de Paula nas minhas bolas e chupava enquanto Cristina em movimentos loucos enterrava o meu caralho senti meu caralho sair daquela cona que parecia não estar saciada e sinto novamente a boca de Paula mamando o meu caralho que tinha acabado de sair de uma cona que estava a precisar de ser bem fodida meti as minhas mãos por trás para sentir as nadegas de Cristina tive o prazer de sentir um bom par de nadegas gordinhas e perfeitas ela sentindo as minhas mãos baloucou-as o que eu tinha sentido que maravilhoso era aquele traseiro e ela desceu novamente ate ao meu caralho repetindo o que já tinha feito voltou a cavalagar mas que bela cavalgada Cristina virou-se de traseiro para mim pegando em meu caralho voltou a enterra-lo e cavalgando fiquei a observar como ela cavalgava vendo aquele grande traseiro subindo e descendo estava com uma tesão que dava para ver Cristiina de costas deitou-se em cima de mim deixando o meu caralho a merçê de Paula que voltou a lambe-lo .
Paula também queria sua cona chupada e fez o mesmo que Cristina colocou se de pé pernas bem abertas e colocou sua cona a minha disposição e tratei da mesma forma que Cristina Paula estava louca, ambas estavam loucas de tesão Paula ao contrário de de Cristina exibia pelos púbicos duas bem diferentes o que me dava mais tesão uma magra outra mais cheia peitos diferentes eu tinha ali um manjar de rei confesso ate hoje o melhor que tive e logo duas muito bom mesmo.
Enquanto cavalgava Cristina, Paula era chupada na sua cona comendo o manjar enquanto lambia e chupava a cona de Paula gritava e gemia como doida estava louca de tesao. Paula tambèm quis ser fodida e eu fodi propocionado a esta também os prazeres fodendo Paula de 4 Paula pode assim sentir por tras na sua cona entrando o meu caralho ate as bolas ela ali de rabo bem enpinado enterrava cada vez mais Paula lambia a cona a Cristina enquanto ela era fodida de 4 .
Paula tambem quis cavalgar cavalgou e cavalgou que nem doida mas que duas universitárias loucas, elas estavam a ser fodidas como nunca foram e eu a viver uma aventura com duas loucas por sexo nunca jamais vou esquecer estas duas.
Paula sai de cima de mim digo a Cristina é a tua vez de te foder por tras ela responde para eu a foder bem fodida e que eu estava a fode-la bem estava louca queria aquele caralho sempre e Paula dIsse a Cristina não sejas egoista eu também quero o mesmo e ponho-me de pé para foder Cristina por traz as duas olham para o meu caralho teso grosso e de tamanho parecia um mastro de navio as duas agarra-se a ele e as duas alternadamente chupam o meu caralho batem punheta chupam as bolas lambe o estava a ficar louco Cristina desiste e coloca se de 4.
Chegou a vez de Cristina queria ver aquele belo traseiro a ser fodida por traz e pôs sua cona a minha disposicao para que eu a fode-se a por traz senti por baixo me acariciando as bolas e meu caralho mas que delicia de momento estes carinhos ela se masturbava e continuava o que eu já tinha ouvido palavaras e palavrões gemidos e gritos de prazer estas duas estavam loucas .
Tiro meu caralho e lambe lhe a cona por traz estava bem aberta bem arrombada volto a meter naquela cona maravilhosa enquanto metia meu dedo no buraco do cu bem apertado enquanto Paula observava tudo Cristina gemia e gritava cada vez mais tiro o caralho da cona e meto no buraco do cuzinho apertado bem devagar foi entrando Paula entregou me um frasco de lubrifiante e ia lubrificando meu caralho enquanto entrava e saía
Paula pega no lubrificante mete se de 4 e lubrifica seu cuzinho como quem estava a pedir que queria o mesmo que Cristina queria sentir meu potente caralho abrir lhe o cu percebi logo tiro do cu de Cristina e meto no cu de Paula Cristina reclamou logo não queria que tira-se mete novamente diz Cristina para mim quero sentir esse gostoso caralho foder-me fode-me toda mas Paula diz a Criatina por favor deixa esse macho fodedor foder meu cu também quero o mesmo ser fodida ser bem fodida como ele sabe este macho merece que machão que belo caralho estamos a ser fodidas muito bem isto sim a melhor coisa qu nos aconteceu em boa hora trouxes-te a casa este homem a idade não diz nada daquilo que ele nos esta a fazer, os meus 47 anos estavam a tratar daquelas duas mulheres deliciosas .
Eu ouvia aquilo e meu caralho parecia ficar mais duro e com uma tesão de rebentar eu estava ouvir aquilo mas que bom elogio .
Depois de foder aqueles dois cuzinhos ora num ora noutro meu caralho parecia insaciavel .
Estava quase a vir-me eu já gritava também de prazer e dizia estou quase a vir-me e a qualquer momento explodia como lava a sair de um vulcão .
Cristina e Paula disseram-me vem-te em nossas bocas queremos sentir o calor do teu leite, elas sentaram-se no sofá voltaram a chupar meu caralho e punhetaram e finalmente meu caralho explodiu saindo uma abundância de leite que parecia nuca mais acabar elas de boca aberta iam recebendo as quantidades bem distribuidas ate já escorria pelos peitos de cada uma mas que inundação voltaram a chupar para não desperdiçar nenhuma gota eu estava satisfeito com tudo elas também aquilo foi uma foda que jamais vou esquecer.
As palavras delas para mim queremos repetir ficamos deliciadas satisfeitas e bem fodidas tu fodes-te como ninguem que caralho maravilhoso tens mesmo muita experiencia a foder és um bom macho diz-nos queres voltar queres vir foder nos as duas?
Eu depois de uma tarde tão bem passada como aquela não hesitei disse-lhes que sim.

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir