Dei dinheiro pra minha prima tirar a roupa!

Dei dinheiro pra minha prima tirar a roupa!
A história que vou contar para vocês aconteceu em um final de ano, na época de festas! Minha família sempre foi muito chegada e então reuníamos todos para passar juntos, sendo que cada ano era na casa de uma pessoa diferente. Tenho parentes em várias partes do Brasil, por isso já conheci muitas cidades! Bom, mas nesse ano as comemorações seriam em nossa casa e minha mãe estava preparando tudo para receber a galera aqui em Sampa! Nossa casa não era muito grande, mas dava tranquilamente para hospedar o pessoal, jogava uns colchões na sala, outros no escritório do meu pai, mais uns na sala de jogos e ficaria todo mundo acomodado…

Bom, chegaram meus tios, avós, primos, etc… Eis então que surge uma menina acompanhando minha tia solteirona Kátia. A menina era uma morena espetacular, aproximadamente 1,68 metros de altura, uns 60 quilos, e pelo que me informei, tinha 18 aninhos recém-completos, mas com um corpo que causaria inveja em muitas mulheres mais velhas. Elas vinham da Bahia, moravam perto da praia, ou seja, essa menina tinha um bronzeado perfeito! Enfim, fiquei maravilhado logo de começo. E depois, quando veio o fato de que ela era uma prima que eu ainda não conhecia, aí minha imaginação foi a mil…

Mas, como sempre fui meio lerdo pra essas coisas, larguei mão desses pensamentos. Afinal, uma morena daquela nunca iria dar moral pra alguém esquisito como eu. Eu não tenho nenhum físico atlético, sou bem magrelo e nunca fiz sucesso com as garotas… Desanimado, tentei pelo menos ser bem simpático, sempre conversava com ela. Bruninha, como ela se chama, acabou pegando boa afinidade comigo.

Ficávamos jogando videogame até altas horas da madr ugada, vendo minha coleção de filmes de ficção científica, mas não passava disso, ela não me dava a mínima brecha, me via apenas como o primo nerd e engraçadinho! Já eu, pelo contrário, a via como a prima ninfeta e gostosona que eu nunca teria o prazer de experimentar… O pior de tudo é que ela sempre usava roupinhas pra lá de provocantes, acostumada com calor o ano inteiro na Bahia, suas roupas eram todas minúsculas, shortinhos enfiados no rabo, blusinhas decotadas, aquilo tudo mexia com minha libido, me deixava louco de tesão! Certo dia, quando ela estava tomando banho dei uma fuçada na mala dela, encontrei suas calcinhas, não preciso dizer que eram todas fio-dental, uma menor que a outra, calcinhas bem safadas, que deveriam ficar lindas naquele corpo maravilhoso da minha priminha!

Eu tinha que arrumar um jeito de pelo menos vê-la peladinha! Não podia deixar minha prima ir embora sem tirar proveito da situação, uma gostosinha daquelas em casa não podia passar em branco! Bruninha, pra piorar, não era nem um pouco descuidada, sempre levava as roupas para o banheiro, trancava a porta e já saia vestida, eu tinha que bolar outro plano se quisesse ver sua bucetinha e tinha que ser logo, pois em breve ela já iria embora, e talvez eu nunca mais a visse!

Foi aí que eu tive uma ideia um tanto maquiavélica! Eu ia ver ela pelada, nem que pra isso eu tivesse que gastar boa parte de minhas economias… Bolei todo o esquema em minha mente e no dia planejado fui ao caixa eletrônico e saquei cinco mil reais! Acreditem, o dinheiro pode comprar tudo!

Como de costume ficamos a madr ugada toda jogando videogame e vendo filmes, só eu e Bruninha. Aquela noite minha priminha estava mais gostosa do que nunca! Ela vestia um shortinho branco de lycra que dava pra ver a marca de sua calcinha fio-dental enterrada na bunda e uma blusa bem soltinha que dava pra perceber que estava sem sutiã, pois o biquinho de seus peitos vira e mexe ficavam acesos! Dei a ideia de tomarmos umas cervejas pois o calor estava demais e Bruninha aceitou prontamente! Bebemos várias latas que nem percebemos que já estávamos bastante alegres. E foi aí resolvi colocar meu plano em prática…

“Bruninha, vamos brincar de verdade ou desafio?”, expliquei pra ela como era a brincadeira, que eu ou ela iriamos fazer uma pergunta qualquer ao outro, e esse deveria escolher se responderia a verdade ou se escolheria o desafio, que no caso do desafio deveria realizar uma tarefa qualquer a critério da pessoa que fez a pergunta e que não quis ser respondida! Bruninha entendeu e aceitou o joguinho… Deixei-a começar, só pra ganhar confiança, e ela me perguntou a idade com que eu tinha perdido a virgindade, respondi a verdade, e ainda dei detalhes, dizendo que tinha perdido um pouco tarde, aos 20 anos e que tinha sido com uma namoradinha da faculdade. Ela deu risada… Ficamos nesse vai e vem por um tempo, mas nada dela escolher o desafio, sempre respondia minhas perguntas e parecia estar sendo sincera. Ela tinha entrado no clima do jogo!

Bom, chegou novamente a minha vez de fazer a pergunta! Caprichei e tentei bolar uma bem cabeluda pra que ela não respondesse e escolhesse o desafio! “Bruninha, você já fez sexo anal?”. Ela disse que não queria responder intimidades desse nível e que preferia o desafio! Então resolvi colocar o meu plano em prática! Ou ela aceitava e entrava na brincadeira, ou me dava um tapa na cara! Mas eu tinha que arriscar, caso contrário nunca ia ver minha priminha pelada! Disse a ela que seu desafio seria tirar o shortinho e dançar rebolando pra mim! Lógico que de cara ela não aceitou e até ficou brava comigo! Mas tudo mudou quando eu tirei o bolinho de dinheiro da gaveta! De primeira ofereci quinhentos reais pra ela tirar o shortinho e dar uma reboladinha só de calcinha, ela respondeu que não e disse que estava magoada por eu achar que ela era desse tipo! Contornei a situação dizendo que tudo era um joguinho e pra ela levar na esportiva. E ainda ofereci mil reais pra ela cumprir o combinado! Peguei dez notas de cem reais e coloquei na mão dela, ela tremeu e eu senti que aceitaria aquela grana!

“Tá bom! Eu faço o que você quer pelos mil reais! Mas você não pode contar isso nunca pra ninguém!”. Jurei segredo e fui me certificar que todos já dormiam. Voltei e fechei a porta pra que ficássemos mais à vontade, liguei o som baixinho em uma música de funk e Bruninha começou a dançar igual uma cachorra! Sentei no sofá pra admirar aquela maravilha rebolando de costas pra mim! Ela foi tirando aquele shortinho branco bem devagar… E o que me deixava mais louco ainda, era que ela abaixava um pouco mostrando parte da bunda que engolia uma calcinha preta minúscula, simetricamente enfiada no reguinho e depois puxava pra cima de novo! Meu pau já estava latejando de tão duro, até que ela tirou todo o shortinho e ficou na minha frente só de calcinha! A calcinha era tão pequena que dava pra ver a marquinha do biquíni dela. Enlouqueci nessa hora!

Bruninha continuou a dançar e a rebolar apenas de calcinha! Abaixava até o chão e lá ficava subindo e descendo com movimentos bem curtos e rápidos, como se estivesse cavalgando em uma rola! Eu me imaginei ali, deitado naquele espaço do chão! Aquela bucetinha deveria ser muito apetitosa e eu estava pirado na performance da minha prima! Ela se virou, agora ela dançava de frente, nessa hora pude ver o formato de sua xana, moldado pela pequena calcinha e que ainda deixava parte dos lábios carnudos da genitália para fora. Uma visão explendida!!! Aquela cena eu seria capaz de ficar admirando o resto da minha vida! Ela chutou o shortinho na minha cara e disse rindo: “Desafio cumprido primo! Ganhei mil reais!”.

Mas eu ainda tinha quatro mil reais na mão e estava doido de tesão! Aquela morena bronzeada bem na minha frente só de calcinha tinha que ficar nuazinha! Quem sabe eu ainda não conseguia algo a mais, eu tinha uma boa quantia pra isso… Não estava nem aí que ela era minha prima, eu só queria aproveitar! Ela pegou o shortinho que estava em cima de mim e vi que seus olhos fitaram o tamanho do meu membro escondido embaixo da bermuda. Ela estava pronta pra vestir o short novamente e eu sabia que não podia deixar a brincadeira esfriar, então eu disse: “Bruninha, que tal mais mil reais pra tirar tudo?”.

Nessa hora ela balançou e tive certeza que ia topar… “Mais mil reais?”, foi o que ela disse, e continuou: “Tá bom, priminho safado! Eu tiro tudo, mas antes passa o dinheiro pra cá!”. Contei cuidadosamente mais dez notas de cem e dei na mão dela. Bruninha apagou as luzes da sala, deixando apenas a televisão com meu jogo favorito na tela e começou um strip-tease que eu nunca vou esquecer! Lentamente ela foi tirando a blusinha, revelando um par de seios redondos e de bicos escuros. Mais uma vez ela tacou a roupa na minha direção, a safadinha sabia como me provocar… Aquele jeitinho ninfeta me pirava, ela chegou mais perto de mim e já pude sentir o cheiro de sua bucetinha. E aí eu fui à loucura de vez! Ela pediu que eu tirasse a calcinha dela!

Catei nos ladinhos da calcinha e aproveitei pra relar naquela pele macia da Bruninha, fui descendo vagarosamente e alisando o contorno perfeito de sua bunda, os primeiros pelinhos pubianos começaram a aparecer, eram bem ralinhos e cuidadosamente aparados… Com calma fui desnudando aquela novinha, minha priminha tinha uma bucetinha linda e bastante perfumada, um cheiro de menina misturado com mulher, que se alastrou pelo ambiente!

Ela ficou mais um tempinho rebolando na minha frente completamente pelada, dançava e se empinava toda que eu quase conseguia ver o seu útero, minha caceta nessa hora pulsava sangue e a glande parecia que ia estourar de tão roxa que estava! Depois disso ela parou e pegou suas roupas escondendo as partes íntimas do seu corpo, fixou o olhar no volume de minha bermuda, deu uma risadinha e falou: “É, parece que você fez um bom investimento, primo!”. E ela nem imaginava que eu ainda tinha três mil reais na mão… Então, aproveitando o comentário dela, continuei a brincadeira: “Bruninha, que tal mais um dinheirinho pra acalmar de vez o primo aqui?” E reforcei a ideia: “Do jeito que estou não vou conseguir dormir essa noite!”.

Ela deu dois passos pra trás e me perguntou com cara de desconfiada: “O que você está querendo ?”. E já com a voz um pouco mais brava: “Eu não transo com você nem por todo o dinheiro do mundo! Você é meu primo!”. É, parece que eu não ia conseguir transar com minha priminha, mas ofereci a ela outra alternativa: “Bruninha, bate só uma punhetinha pra aliviar meu tesão!”. Ela disse um “nunca” bem alto, mas quando tirei o restante do dinheiro do meu bolso e mostrei a ela que ainda tinha três mil reais para lhe dar, ela mudou de ideia: “Tá bom priminho, só te masturbar acho que não tem problema!”.

Minha prima, ainda nua, sentou-se ao meu lado. Tirei minha bermuda e a minha cueca e o meu pau saltou pra fora apontando para o teto. Bruninha então pegou no meu pau com cuidado e começou os movimentos de sobe e desce. Eu fui à loucura nessa hora, aquela menina sabia como tratar um pinto… Delicadamente ela tocava uma gostosa punhetinha e eu me segurava para não gozar rápido, queria aproveitar ao máximo aquele momento.

Ela me olhava com uma cara de putinha, mordia os lábios e continuava a tocar uma pra mim, estava cada vez mais difícil não ejacular… Consegui ficar mais alguns minutos saboreando aquela sensação e aí senti uma grande quantidade de esperma vindo da base do meu saco e um forte jato de porra sujou toda a minha camisa e melou a mãozinha da Bruninha. Eu tinha gastado cinco mil reais de minhas economias em apenas uma noite, mas valeu cada centavo gasto com aquela priminha da Bahia. Dois dias depois ela foi embora, deixando um enorme vazio no meu coração!

Já faz quase um ano que isso tudo aconteceu, e agora, chegando novamente as festividades de fim de ano, fiquei sabendo por minha mãe que as comemorações seriam na casa da minha tia solteirona em Salvador! Já estou separando uma boa parte da minha poupança, quem sabe dessa vez eu consiga traçar minha prima Bruninha! E se der certo, eu conto tudo a vocês!

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir