Comi a recém casada de Curitiba e virou minha subm

Blowjob

Comi a recém casada de Curitiba e virou minha subm
Sou de Curitiba tenho 34 anos, modéstia parte tenho meus atributos.
Através de outros contos, recebi o contato de Paulinha, recém casada, mas namorava seu marido a 7 anos. Paulinha loira, 27 anos, 1,65m. 60 kg e dona de uma bunda redondinha que só de lembrar da tesão.
Paulinha disse que sempre foi safada antes de seu marido, mas o namoro e casamento ela parou de fazer arte. Por mais que havia recém casado sua vida sexual estava rotineira, do tipo que não rola mais nem sexo oral.
Conversamos e nos conhecemos melhor, até marcamos de nos encontrar. Paulinha estacionou o carro ao lado do meu e desceu, quando vi o corpo daquela mulher pensei. Como um cara pode enjoar disso, que tesão de loira.
Paulinha entrou em meu carro, nos beijamos e ela perguntou onde eu iria leva-la. Disse que era para ela ficar tranquila que eu cuidaria dela naquela tarde.
A caminho do motel, ela ficou alisando minha perna, senti sua carência, peguei a mão dela é coloquei em meu pau, viu como ele está para você? Ela falou, nossa que duro e grande. Abri o zíper e tirei para fora meus 19 cm, ela pegou e começou a acariciar, perguntei por que ela não dava um beijinho nele então, ela falou que não que estava no meio do trânsito e alguém poderia ver. Peguei ela pelos cabelos e falei, não quer ser putinha? Então começa agora, levei sua boca até meu pau e fiz ela chupar, ela babava, lambia, e jogava cabelo contra o rosto para ninguém ver de fora.
Falei para ela que ia parar de chupar somente quando entrássemos no motel.
Tive que me segurar para não encher sua boca de porra. No motel descemos já agarrei ela por trás, beijei, mordi sua nuca, vi ela toda arrepiada, fui tirando sua roupa, cada peça que tirava podia admirar mais ainda a delícia de mulher que estava nua em minha frente.
Quando tirei sua Calça a surpresa estava sem calcinha, uma bundinha redonda, branquinha apenas com uma tatoo nas costas, que tesão, não me contive, coloquei ela de quatro na cama, chupei sua bucetinha, a visão era maravilhosa, quem comeu uma menina bunduda, de quatro sabe que estou dizendo.
Pincelei a entrada, ela estava muito molhada, não precisei muito esforço para entrar gostoso naquela mulher, ouvi ela gemer do tipo, ah entrou tudo, enrolei a mão em seu cabelo e comecei a socar, meti e meti sem dó, queria ser puta eu ia ajudar, sua bunda estava vermelha dos tapas que eu dava, ela mordendo o lençol da cama, pedia mais, até anunciar que estava gozando em meu pau, senti sua bucetinha contrário no meu pau, ela tentou levantar-se, peguei seus braços puxei para trás e falei que não era para ela sair daquela posição, ela estava dominada por mim, segurando seus dois braços ainda de quatro comecei a meter de novo, não dava descanso para ela, mandei ela deitar, ainda por trás, estava metendo nela, falei para ela arrebitar a bundinha, meu pau deslizava muito fácil, ela gemia, e é suspirava a cada estocada que eu dava, pedi para ela virar, e sentar no meu pau, sua cara de acabada era notáve, ela sentou em meu pau, mandei ela cavalgar, segurando em seu cabelo e mandando ela olhar para mim, falava que ela era uma putinha, safada, vadia eque ia dar sempre para mim, ela respondia que sim que aquela bucetinha era minha agora é ia fazer o marido muito corno, segurei ela pela bunda e puxava de encontro a mim, dava tapas na cara dela para ela saber quem era o comedor dela agora, nesse vai e vêm ela gozou, caindo em meu peito de cansada que estava, mandei ela ficar de joelho e M chupar, ela falou para não gozar na boca dela, falei para ela chupar que sabia onde ia gozar era eu, e ela era minha putinha submissa, conforme ela chupava eu puxava ela pelos cabelos, em momentos ela se afogava e babava muito no meu pau, quando fui gozar mandei ela abrir a boca e tomar tudo, pediu que não, mas já era tarde enchi sua garganta de porra, ela tentou, cuspir mas não deixei, ela precisava saber que era o macho dela agora, a porra que escorreu fiz ela lamber e limpar meu pau.
Falei para ela não lavar a boca e ir com meu gosto para casa, saímos do motel, deixei ela onde estava seu carro.
Paulinha hoje é minha putinha, ela nunca havia sido dominada antes agora é minha casada submissa, uma vez por semana ela vem me dar, certo dia, enchi sua bucetinha de porra é mandei ela colocar a calcinha para ir melada embora, deixei ela no shopping onde ela havia combinado de se encontrar com seu marido, segui os dois, ela sabia que eu estava ali, ficamos trocando mensagem watts escondido, ela dizia que estava escorrendo porra nas pernas, .
Outro dia, ela me mandou mensagem dizendo que estava indo no mercado com seu marido, falou que estava com saudades de meu pau, marcamos no estacionamento, ela falou para marido que tinha esquecido algo no carro e foi me encontrar, eu já estava esperando ela de pau duro, quando entrou no carro me deu um beijo e caiu de boca, chupou até encher sua garganta de porra, limpou e bebu cada gota que sobrou no meu pau, ela falou que precisava ir mas se eu quisesse subir no mercado ia ver ela beijando o marido com gosto de meu pau e minha porra, subi logo atrás dela e não é que ela encheu o marido de beijos.

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir